terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Mais Proximo do Céu

Pertencemos aos rios e aos rios devemos razão. os espelhos d'água abrem olhos por dentro e corpo. e espreitamos o que há por debaixo deles. e sabemos que luz uma cidade inteira. uma explosão de cores. um arco-íris que rebenta. e nos colora a alma. os rios vão e levam sonhos para as camas do mar. e vê-mo-los sorrir como perdizes na hora do recreio. os rios têm cintura de mulher que entra para o meio da roda. as águas frias lavam o tempo e preparam-nos o banquete. por cima das águas nos vamos. ao encontro de quem nunca se perdeu. somos homens na terra. sementes caídas do ceú. subimos mais que subimos. na segunda estrela viramos à direita. depois do firmamento paramos num tasco. bebemos. comemos. brindamos. enquanto a vida. essa. espera por nós na outra margem de um rio. que afinal é o choro das pedras. Que foram homens. e mulheres como nós. a parir novas estações.


Flávio Lopes da Silva - Escreve a este blog quinzenalmente

1 comentário:

flavio lopes da silva disse...

boas festas efeliz ano novo a todos os simpatizantes do pedaga e bota.
que no próximo ano se abram novos caminhos para novas conquistas e vitórias.
abraço
do flávio