segunda-feira, 26 de maio de 2008

Mais Próximo do Céu

Aqui respiro. Deus nas nossas mãos. Todos os homens são verdes nesta montanha que é a soma dos séculos. Há pedras que se tornam flores, há caminhos virgens e sedosos que nos levar ao Altíssimo. A cidade torna-se um insecto minúsculo daqui, os pulmões são de carne vermelha que Cristo pôs sobre a mesa. Aqui respiro. Já te tinha dito, eu sei, eu sei que o vento é tradutor do olhar das aves, é a história que guardamos para sempre. Falarei das águas mansas, dos peixes que são homens, das pedras que palpitam segredos. Conhecemos o ar pela sua frieza, as melhores tábuas para o fogo das lareiras, as cascatas que abrigam mistérios por detrás da corrente - de que falam os nossos velhos -, as nuvens nos lábios de quem diz: aqui respiro.


Flávio Lopes da Silva - Escreve a este blog quinzenalmente

2 comentários:

flavio lopes da silva disse...

pois é malta, aqui está o primeiro de muitos textos sobre a natureza que nos transforma, eleva os pensamentos ao alto. não explicarei nada. sentimentos sim. daqueles que vós, caminheiros deste mundo, estais habituados.

Flávio lopes da silva.

lobo disse...

Saudações montanheiras